Sem querer me intrometer | Mariana Baptista

Estou viva (e lancei um livro!)

0 opinaram |
     VOCÊ! Maravilhoso leitor que, depois de alguns (longos) meses sem que eu postasse nada por aqui, me lê agora, eu tenho uma notícia para você: Estou viva.... e lancei um livro! Mas antes de contar mais para vocês sobre esse ~grande acontecimento literário do século XXI~, vou explicar o porquê sumi por tanto tempo. Basicamente, amigos, coisas da vida. Serviço. Faculdade. Preguiça. Mais serviço. Mais faculdade. Mais preguiça. Bem mais preguiça. E por aí vai. Só que agora tô realmente me sentindo inspirada para voltar a postar sempre aqui (inspiração que, espero, dure pelo menos até clicar no botãozinho de "publicar" desse post).

     Mas, na verdade, tô aqui para falar de algo mais legal que minha vida de trabalho e preguiça: PATERNOOD. Meu primeiro livro e segunda publicação no mercado editorial (pois é, vocês ainda não sabem, mas ano passado também tive meu conto, Menina Multidão, publicado na antologia Eu, Você e o Amor, da editora Illuminare [vou mostrar lá no final do post]).

     Publiquei Paternood pela Sollo Editorial e depois de uma looooonga espera, no finalzinho do mês passado, ele chegou para mim. E, sério, apesar de TODO o nervoso que passei, valeu a pena. Tá lindo. Lindo, lindo. Sei que sou suspeita pra falar, mas tá demais <3 Olha aí!



Título: Paternood
Primeiro livro da série Paternood
Autora: Mariana Baptista
Editora: Sollo Editorial
Páginas: 117

De alguma maneira alheia a seus conhecimentos, Aline Paquesse, uma jovem paulista de 17 anos, passa a visitar, todas as noites em seus sonhos, uma vila mágica e desconhecida chamada Paternood. Adotando o nome de Malec, a garota passa a conviver com os seres surpreendentes e os nada convencionais habitantes da vila e acaba descobrindo, os poucos, que um mistério do passado, envolvendo uma guerreira desaparecida, pode fazer parte, também, de sua história pessoal. Mas o que fazer quando os sonhos começam a interferir na realidade mesmo quando se está acordado?

     Quem se interessar pela sinopse pode ler o prólogo aqui e vir conversar comigo sobre o que achou e, também, sobre possíveis parcerias (aliás, estou querendo fazer um book tour com sorteio conjunto. Ajuda é muito bem-vinda!). Quero muito saber a opinião de vocês. E como falei lá em cima no post, abaixo mais detalhes da antologia que participei.


Título: Eu, Você e o Amor
Autores: Diversos
Editora: Illuminare
Páginas: 208

Uma antologia de vinte contos de amor para preencher o seu dia dos namorados! Autores: Adriana Igrejas, Beatriz Cortes, Bruno Inácio, Eva Correia Derossi, Gabriel Sidney, Glaura Gerhard, Luiz Henrique Batista, Márcia Pavanello Pires, Marcio Augusto Muniz, Maria Delboni, Mariana Baptista, Naylane Giazzon, Renata R. Corrêa, Rô Mierling, S.S.Days, Tania Tonelli, Thais Turesso, Tony Ferr, Vera Lúcia Cervi Mattei, Wilson Santos.


     E por hoje é isso. Me contem o que acharam das novidades (pfv, nunca te pedi nada rs) e amanhã volto com mais (eu espero!) <3 Ah! E obrigada por ainda estarem aqui.

Resenha: Filha da Ilusao | Teri Brown

6 opinaram |


Título: Filha da Ilusão
Primeiro livro da série Herdeiros da Magia
Original: Born of Illusion
Autora: Teri Brown
Editora: Valentina
Páginas: 288
Avaliação: ★★★★ (5/5)


Ilusionista talentosa, Anna é assistente de sua mãe, a famosa médium Marguerite Van Housen, em seus shows e sessões espíritas, transitando livremente pelo mundo clandestino dos mágicos e mentalistas da Nova York dos anos 1920. Como filha ilegítima de Harry Houdini - ou pelo menos, é o que Marguerite alega - os passes de mágica não representam um grande desafio para a garota de 16 anos: o truqye mais difícil é esconder seus verdadeiros dons da mãe oportunista. Afinal, enquanto os poderes de Marguerite não passam de uma fraude, Anna consegue realmente se comunicar com os mortos, captar os sentimentos das pessoas e prever o futuro. Porém, à medida que os poderes de Anna vão se intensificando, ela começa a experimentar visões apavorantes que a levam a explorar as habilidades por tanto tempo escondidas. E, quando um jovem enigmático chamado Cole se muda para o apartamento do andar de baixo, apresentando Anna a uma sociedade secreta que estuda pessoas com dons semelhantes aos seus, ela começa a se perguntar se há coisas mais importantes na vida do que guardar segredos. Mas em quem ela pode, de fato, confiar? Teri Brown cria, neste fantástico romance histórico, um mundo onde pulsam a magia, a paixão e as tentações da Nova York de Era do Jazz - e as aventuras de uma jovem prestes a se tornar senhora do seu destino.

     É incrível como a Valentina consegue me surpreender cada vez mais a cada leitura de títulos publicados pela editora. Após ter lido, em 2014, diversas obras maravilhosas que trazem no selo o cachorrinho  símbolo da editora  que se tornou querido para mim, comecei 2015 com mais uma aventura fascinante pelas páginas de Filha da Ilusão, primeiro volume da série Herdeiros da Magia.

     Na trama escrita por Teri Brown, conhecemos Anna Van Honsen, uma menina que desde muito jovem faz truques de mágica para a abertura dos shows de mediunidade realizados por sua mãe, Marguerite Van Honsen.

     Diferentemente dos dons de Marguerite, os talentos de Anna vão muito além de uma simples forma de ilusão para gerar dinheiro. A garota tem poderes reais ― como se comunicar com mortos, prever o futuro e sentir emoções das outras pessoas e tenta a todo custo controla-los e conviver com eles sem expô-los o suficiente para que a gananciosa mãe consiga usá-los para atrair o público-alvo do ilusionismo.

(...) A trapaça, a mentira, o roubo e a fraude são atividades corriqueiras na rotina profissional das Van Housen. Capítulo 17, pág. 158

     Quando o famoso mágico Houdini apresentado como possível pai de Anna ― chega à Nova York a fim de desmascarar os artistas charlatões ilusionistas da cidade, os dons da jovem, por coincidência ou não, começam a se manifestar com mais frequência e força do que o normal e, com a ajuda de Cole ― seu novo vizinho, com quem ela se conecta de uma forma fácil e inexplicável ―, Anna começa a descobrir mais sobre suas habilidades. Também descobre que não é a única pessoa a apresentar essas atípicas características e que, não necessariamente, elas são confiáveis.

     Filha da Ilusão traz uma trama cheia de mistérios, descobertas e, principalmente, magia. As cenas de ilusionismo são muito bem trabalhadas e a narrativa de Teri ― feita em primeira pessoa por Anna ― é sempre dinâmica e cheia de fatos novos e empolgantes que prendem o leitor à estória até a última página.

― Ultimamente meus dons parecem ter se aguçado. Às vezes eu me sinto como se recebesse mensagens, quando não estou tocando nas pessoas ou mesmo prestando muita atenção nelas. E também ando tendo uma visão recorrente, sendo que até então nunca tive mais de uma sobre determinado acontecimento. Capítulo 21, pág. 193

     Outro ponto que despertou meu interesse no livro foi a construção das personagens. Contrariando os estereótipos que costumamos encontrar nas estórias de young adult, Anna é muito madura e equilibrada, enquanto sua mãe Marguerite ― que tem participação ativa e constante na trama ― mostra-se sempre muito infantil, egoísta e fútil.

     A Editora Valentina fez um trabalho de tradução e diagramação maravilhoso. Só cabem elogios ao capricho da editora ― que conseguiu, inclusive, trazer às livrarias uma capa ainda mais linda que a original da obra. Mal posso esperar pelo lançamento dos próximos volumes da série. 

[03/2015] Novidades da Geracao Editorial

4 opinaram |
     Em março, a Geração Editorial chega cheia de novidades e traz dois títulos interessantíssimos para as livrarias, além de edições maravilhosas para os fãs do clássico O Pequeno Príncipe. Vamos dar uma olhada nos lançamentos desse mês?




O Ratinho do Violão | Marta Reis
A gente fala búlin, mas a palavra é inglesa e até um pouco difícil de escrever: bullying. A história do Chiquinho é uma história de bullying, uma judiação que gente maldosa faz com os outros, com as crianças. O Chiquinho é um menino muito bacana, do bem, que toca violão como ninguém. O que importa se ele manca um pouquinho, né? Se você ficar um pouco triste de ver o menininho encolhidinho de tanta chateação dos amigos, vai ter uma surpresa lá no final do livro. E vai querer gritar: viva o nosso Chiquinho!






O Caso Pedrinho | Renato Alves
O livro traz os detalhes do sequestro na maternidade de uma das crianças mais famosas do país, que ficou conhecido como O Caso Pedrinho. Mesmo passados 12 anos, a história não sai da cabeça do imaginário popular, basta lembrar do garoto e da sequestradora Vilma. O enredo parece de um filme mas o repórter Renato Alves, que acompanhou tudo de perto, revela e compartilha com o leitor os bastidores da investigação policial e da cobertura jornalística do caso Pedrinho, solucionado em 2002. Não era um filme mas teve um final feliz e surpreendentemente. Neste livro reportagem são exibidas em close as entranhas desta comovente história real de amor e perseverança, de falsidade e engano, de generosidade e egoísmo.


O Pequeno Príncipe,
 Antoine de Saint-Exupéry 
EDIÇÃO DE LUXO (à esquerda)
EDIÇÃO POCKET (à direita)
Um piloto cai com seu avião no deserto e ali encontra uma criança loura e frágil. Ela diz ter vindo de um pequeno planeta distante. E ali, na convivência com o piloto perdido, os dois repensam os seus valores e encontram o sentido da vida. Com essa história mágica, sensível, comovente, às vezes triste, e só aparentemente infantil, o escritor francês Antoine de Saint-Exupéry criou há 70 anos um dos maiores clássicos da literatura universal. Não há adulto que não se comova ao se lembrar de quando o leu quando criança. Trata-se da maior obra existencialista do século XX, segundo Martin Heidegger. Livro mais traduzido da história, depois do Alcorão e da Bíblia, ele agora chega ao Brasil em nova edição, completa, com a tradução de Frei Betto e enriquecida com um caderno ilustrado sobre a obra e a curta e trágica vida do autor.

     E essas são as novidades da editora. Gostaram? Estou apaixonada pelas novas edições de O Pequeno Príncipe. Uma mais linda que a outra! E, para os leitores Kindle, vale também destacar que a editora lançou o e-book da obra nesse mês. Corram lá no site para saber melhor (aqui).